Novo conceito sobre missões

Capacitando Motivando

Gabrielle Ribeiro participou pela primeira vez do Pacificadores neste ano e pôde aprofundar seus conhecimentos sobre trabalho missionário. Para a jovem de 17 anos, a Igreja Brasileira tem um conceito errado de missões e ela viu isso com mais clareza durante os 15 dias em que esteve na escola de liderança da AMME evangelizar em Ibiúna – SP.

“Há uma formação errada sobre o conceito de missões. Fazer missão não é passar fome, mas sim ter prazer em levar a Palavra àqueles que ainda não tiveram acesso à Ela. Que possamos melhorar mais nessa área e orar por aqueles que entenderam o conceito de missões e estão proclamando a Palavra de Deus”, afirmou.

Natural de São Paulo, Gabrielle afirma que os evangélicos em sua maioria devem sair da zona de conforto. “Infelizmente, o fato é que não há mais aquele cuidado com o próximo. As pessoas não querem cogitar a ideia de que há famílias necessitadas e pessoas cada vez mais sedentas da palavra de Deus. Sabe por que? Porque elas não querem sair de sua zona de conforto. Nós, como discípulos de Deus, devemos sair do comodismo”.

Após participar do Pacificadores, a jovem pretende colocar em prática tudo o que aprendeu nas duas semanas. “Tudo o que foi falado e o que fizemos naqueles 15 dias serviu como uma grande experiência e aprendizado. Isso eu vou levar para a minha vida toda! Portanto, procurarei passar adiante tudo o que vivenciei no Pacificadores, pois há muitos jovens e adolescentes que precisam aprender o que aprendi”.

Mesmo ciente de que a Igreja Brasileira ainda tem muito o que aprender e melhorar quando o assunto é missão, Gabrielle acredita no potencial da nova geração de líderes e afirma que projetos como o Hora de Ação são importantes para estimular o engajamento de adolescentes e jovens na causa.

“Eu vejo uma grande necessidade de pessoas que cumpram o Ide, não só nos países de língua portuguesa, mas no mundo inteiro. Eu creio, porém, que essa geração é diferente e Deus levantará muitos missionários”, disse. “O projeto Hora de Ação, por exemplo, é uma ótima ferramenta de estímulo para os adolescentes e jovens. Assim como nossa visão e pensamento mudou através desse projeto no Pacificadores, passaria adiante para que impactasse a vida de outros e eles percebessem a urgência que temos na formação de novos missionários”.

Tagged

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *